quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

UMA AVENTURA NA NOITE




O que poderia ser mais assustador para uma menina, com uma mochila nas costas, fones no ouvido e um guarda-chuva, andando sozinha no meio de uma noite chuvosa?
.
As ruas totalmente desertas? Os uivos de alguns cães perdidos? Os pontos escuros próximos as árvores, onde qualquer bicho ou homem poderiam estar escondidos?

Definitivamente, não.

O que poderia ser mais assustador, com certeza, era um raio cortando o céu seguido pelo estrondo de um trovão. Ela viu a noite tornar-se dia por um segundo e sentiu toda a terra tremer abaixo de seus pés.

Contudo, antes que sintam pena da garota supondo que ela está perdida ou que não tenha ninguém nesta vida, preciso lhes confessar que esta é apenas uma estudante de espanhol que está indo sozinha para casa em uma noite chuvosa e de que necessitava somente de uma ligação para que o pai a fosse buscar na escola. Entretanto, ela não a fez e tinha seus motivos.

O que mais a atraia para as aulas de espanhol não era o prazer de conhecer uma nova língua, seus colegas de classe ou a amizade que mantinha com sua professora, decididamente, o que mais lhe atraia era o sentimento, ao qual gostava de chamar de liberdade, que lhe invadia o ser duas noites por semana enquanto caminhava solitária e despreocupadamente, com seus fones no ouvido, o breve percurso de 15 minutos que ia da sua casa até a escola e vice-versa.

Caminhar sozinha durante a noite não poderia ser comparado de forma alguma com o caminhar sozinha durante o dia, pois, segundo ela, à noite havia a lua e as estrelas para oferecer um toque de magia e mistério ao céu, em substituição ao sol escaldante do dia. E o mais importante, à noite não havia aquela multidão nas ruas com seus falatórios desenfreados, mau humor e pressa. A noite lhe oferecia a solidão e o silêncio na medida exata e um doce sentimento de liberdade.

Por tudo isso, depois de um período de férias e com uma louca vontade de sentir-se “livre” novamente, não poderia permitir que uma chuvinha lhe atrapalhasse. Sinceramente, achou que poderia ser uma boa aventura. Ela que vivia criando aventuras em sua cabeça, achou-se no direito de viver uma.

Retirou o guarda-chuva da mochila e iniciou o trajeto de volta para casa. Não se importou com o fato de não haver ninguém nas ruas ou por tudo parecer muito mais escuro naquela noite ou, muito menos, se importou com os latidos e uivos de alguns cães. No entanto, assustou-se com um raio que cortou o céu bem a sua frente e com o barulho do trovão logo em seguida. E como gostou de sentir aquele friozinho na barriga!

Seguindo seu trajeto, esqueceu-se de que a chuva havia sido forte e a rua de terra em que resolveu entrar, provavelmente, estaria puro barro. Já estava na metade do caminho quando encontrou um trecho feito de escuro e lama.

Ponderou ser muito tarde para voltar ou ligar para o pai e admitir que sentiu medo. A menina, com a mochila nas costas, seguiu e enfrentou toda aquela lama e escuro. Depois, denominou cada gelar de coração ao ver seu chinelo preso no barro e quase uma impossibilidade de prosseguir calçada como uma pequena conquista particular.

Riu-se, mais tarde, por ter apressado os passos, a ponto de quase correr, quando um homem com um jeito suspeito virou na mesma rua em que havia virado e parecia estar atrás dela, mas quando disfarçadamente olhou para trás, ele já havia entrado em alguma casa ou em outra rua.

Por fim, quando colocou os pés enlameados no portão da sua casa, sentiu-se quase a mulher maravilha, a dona do mundo e, por que não dizer, sentiu-se aliviada por ter sobrevivido ao escuro, à chuva, ao tremor da terra, aos monstros escondidos nas trevas que imitavam o som dos cães, à areia movediça que quase lhe roubou os chinelos havaianas e ao homem mau...
.
Dany Ziroldo

*Imagem: a prova do crime por Dany Z.

13 comentários:

  1. Muito bom,Dany! vencer os medos dá sempre uma linda sensação e nos faz bem...Mas vamos combinar que eu também morreria de medo se fosse ela...um beijo,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Bem, hoje em dia tudo pode ser assustador para uma menina (memso sem estar andando na chuva, com uma mochila nas costas e um fone de ouvido). É um estranho e perigoso mundo.

    Mas se dentro dessa moça há uma mulher maravilha, quem poderá com ela?...hehehe.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. ahhhh
    pena q onde moro
    quase nunca tenho a oportunidade de andar sozinha a noite
    =(

    me coloquei no lugar dessa menina do texto!!! hauhauhauhauhaua

    bjos!!!

    ResponderExcluir
  4. Ficou bem bacana o texto...
    O que mais gostei foi a foto que fez a ligação com umas das partes finais e as ultimas palavras do texto...

    Parabéns Dany!

    Um abraço forte!

    ResponderExcluir
  5. Gostei do texto! rss
    não sei se já te avisei (pq meu computador desligou ontem do nada) mas tem um selo pra vc em meu blog! super merecido por sinal!
    bjuss

    ResponderExcluir
  6. Lindo texto!

    A fantasia que vc criou ficou muito linda!

    Nitidamente, até pela foto do chinelo dá para ver que vc é a menina!


    Adorei quando o a noite virou dia por causa do raio que cortou o céu.

    É verdade que com silêncio da noite, ficamos mais atentos mais observadores!
    A parte que vc fala da liberdade noturna é demais também!

    Vc no seu tempo andando curtindo a aventura ouvindo a sua musiquinha!

    Adorei o texto!

    Parabens!

    ResponderExcluir
  7. Chegar aqui e ver tamanha beleza
    Numa pagina que fermenta alegria…
    É sonhar acordado e voar na leveza
    De poetizar tudo… porque tudo é poesia

    Uma semana de paz e alegria…

    O eterno abraço…

    -MANZAS-

    ResponderExcluir
  8. Ola, tudo bem.Adorei seu blog, vamos fechar parceria, com troca de links ou banners?aguardo resposta.Um super abraço.

    http://poemasepoesias-blog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi, Dani! Estou só de passagem para agradecer sua visitinha lá no meu blog e dizer que voltarei com mais calma depois pra fazer uma visitinha mais demorada. Estou me preparando para viajar, então você imagina a correria, né? rs

    Beijos e até a volta!

    ResponderExcluir
  10. Estou com saudades de suas postagens! rsss
    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  11. q aventura não! rs

    ps. curti os detalhes todos...


    abçs
    alle:-)

    ResponderExcluir

Saber que você passou por aqui é muito importante para mim... Portanto, não deixe de comentar...

Agradeço-lhe a visita!

Abraços,

Dany Ziroldo