sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

GIRASSÓIS NO VARAL



Um a um, cuidadosamente, ela foi lavando os girassóis e pendurando-os no varal. Em meia hora já possuía um varal repleto de girassóis. Ao fim do trabalho, pôs-se em frente ao varal e admirou e sorriu. Estava satisfeita agora.

Girassóis de plástico! Flores de plásticos! Que mais bela invenção! Pensava a mulher enquanto analisava o seu minúsculo quintal coberto de cimento.

Chegou a pensar em comprar vasos de flores. Orquídeas talvez. Mas analisando a sua falta de tempo e falta de disposição para trabalhos de jardinagem e ao mesmo tempo desejando possuir flores para alegrar o ambiente, comprou os girassóis. A cor amarela de suas pétalas chamou a atenção dos olhos verdes da mulher e como seus olhos desejavam os girassóis, ela passou a desejar também. Levou uma dúzia para casa. Achando-os lindos, achando-os pouco, voltou no outro dia para comprar mais duas dúzias.

Em cada canto da casa um vaso de girassóis, que, apesar do nome, não giravam. Enfeitavam apenas. Isso era suficiente para ela.

Nos primeiros dias só tinha olhos para os girassóis. Depois foi esquecendo-os, acostumando-se com sua silenciosa presença. Meses se passaram e somente a poeira parecia lembrar-se das pétalas amarelas. Às vezes, espanava-os. Às vezes, não. Os girassóis foram perdendo o brilho, a alegria.

Um dia a amiga quis jogá-los fora. Ela não permitiu. Prometeu que os limparia. Ficariam de molho se fosse preciso. No outro dia já havia se esquecido da promessa.

Lembrou-se apenas hoje, duas semanas mais tarde, após sonhar que corria por um campo de girassóis.

Os girassóis do seu sonho eram tão lindos e seus girassóis de plásticos estavam tão sujos, tão feios. Sentiu-se culpada e duas lágrimas escorreram de seus verdes olhos. Uma por ter negligenciado seus girassóis de plástico. Outra por não poder possuir um campo de girassóis igual aquele dos seus sonhos.

Enxugou ambas as lágrimas e colocou todos os seus girassóis em um balde. Depois sorriu. Lembrou-se de sua alegria quando os comprou. Conformou-se, pois já era crescida e sabia que nunca poderia ter tudo o queria nesta vida. E já que não poderia ter um campo de girassóis, ao menos possuía três dúzias de girassóis de plásticos, os quais tinham a vantagem de serem quase eternos...

.
Dany Ziroldo
.
*Imagem por Dany Ziroldo.

25 comentários:

  1. Olá Dani...

    essa é a primeira vez que visito seu blog... e devo dizer que estou admirada! gostei to do seu jeito de escrever...

    adorei esse post!
    vc escreve de maneira cativante, de forma que queremos saber o desenrolar da história, e não nos cansamos de ler... essa é uma qualidade maravilhosa para quem tem blogs como nós.

    a metáfora por trás da história também ficou bem clara... talvez clara demais na minha opnião... mas mesmo assim achei linda.

    parabéns pelo blog...
    vou te seguir...
    tá afim de uma parceria?
    passa lá no meu blog e dá uma olhada... vou te add aos meu favoritos ok??

    bjoss e sucesso aqui!
    voltarei mais vezes! ;)

    ResponderExcluir
  2. nossa bellissimo blog
    gostei muito do texto
    e primeira ves que eu entro no
    blog seu prbns.

    ResponderExcluir
  3. Quem não tem girassol caça com giralua.

    ResponderExcluir
  4. todos devem ter um campo pra plantar uash aí sim, mto bom.

    ResponderExcluir
  5. É incrível como se percebe algo sombrio no seu texto apesar de sentirmos uma pretensão de alegria. Texto paradoxal, muito bacana!!!

    ResponderExcluir
  6. Oi Dany muito bom, gostei alias como havia dito anteriormente, gosto de todos seus textos...
    É um texto que nos leva a um cenario cotidiano, e nos faz entender e perceber o quanto perdemos ao abandonarmos as coisas simples, porem, valiosas da vida!
    Bjus Dany!

    ResponderExcluir
  7. Lindo final de semana!


    Viagem final

    O grito corta a noite
    atravessa a ponte da vida
    alcança a faixa da morte
    abismo negro sem fim
    lançado dessa forma flutua
    um frio corta a face
    gosto amargo seca a boca
    resseca os lábios que entreabertos
    quase tiram o ar
    é uma viagem a absurdo
    lembranças, fatos, imagens,
    tudo seco sem emoção
    as mãos abertas esbofeteiam o vento
    as pernas desconexas
    soltas parecem não compor o todo
    que apenas sente,
    ressente
    e entende
    como ainda vida
    o grito segue
    abismo abaixo
    sem ter quem
    o ouça
    porque salvar-se
    não deseja
    mais...
    Reflexo d’ Alma

    Bjins entre delírios e encantos

    ResponderExcluir
  8. É muito bonito ver como nossos sonhos se transformam conforme damos certa quantidade de atenção a eles. Mas nada nessa vida se perde, tudo se transforma e renasce....

    ResponderExcluir
  9. Absolutamente cativante. Girassóis no varal, modo de reconhecer beleza em todas as coisas, até nas flores de plástico. Adorei!!!

    ResponderExcluir
  10. Bacana seu blog, dany!
    Obrigado pelo carinho e a visita ao meu blog de charges...
    Abraço,
    Alecrim

    ResponderExcluir
  11. Nossa, muito boa a sua escrita... muito bonita a historia... irei seguir seu blog! o/

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    Lindo o seu conto dos girassóis. Poder-se-á dizer que, mesmo de plástico, os girassóis só nos darão alegria se cuidarmos deles, se lhes dermos alguma atenção.
    É tudo um dar e receber.
    As pessoas são como as flores. Se cuidares delas cuidarão de ti...

    Um beijo.

    O mar é mágico!

    "No fundo do mar há brancos pavores,
    Onde as plantas são animais
    E os animais são flores".

    Sophia de Mello Breyner Andresen

    ResponderExcluir
  13. concordo com o MB Galvão, alguém que quer vida dificilmente será sempre feliz com algo morto que só parece ter vida..... é dark! hehehe
    ;D

    ResponderExcluir
  14. concordo com o MB Galvão, alguém que quer vida dificilmente será sempre feliz com algo morto que só parece ter vida..... é dark! hehehe
    ;D

    ResponderExcluir
  15. Dany,
    Puedo pensar en tantas cosas que se parecen a esos girasoles, pero me las voy a guardar para pensar en ellas y talvez mejorar algunas...
    Me gusta cómo escribes :)
    Un fuerte abrazo,
    Carolina

    ResponderExcluir
  16. Flores de plásticos! Que mais bela invenção!...

    Ah, a artificialidade também tem suas compensações...

    Belo texto. Um abraço.

    ResponderExcluir
  17. Adorei, muito mesmo, simples; cativante; sereno; luscente; apaixonável!

    Vi nos girassóis a ânsia do perfeccionismo que buscamos a vida toda, a inveja que sentimos de quem á tem... Oh, Breve ilusão... algumas pessoas tem sorte, outras não...

    Isso me faz lembrar um verso não pouco conhecido:

    “Um contentamento descontente”

    Essa é a definição da mulher e seus aludidos girassóis de plástico!

    http://luscentismodevieira.blogspot.com/

    beijos

    ResponderExcluir
  18. lindos girassóis de sonhos bons!

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  19. Vasculho os "escombros" e "superficies " da web em busca de blogs que sejam relevantes. Achei o seu . Parabéns.Continue nos presenteando com suas atualizações.

    ResponderExcluir
  20. Oi Dany.

    Eu amo girassóis! Faço referência a eles em diversos textos e sonho em estar em um campo bem florido...sonho de verdade...rs!

    Que estas flores possam continuar a iluminar suas letras...

    Bjs

    ResponderExcluir
  21. Dani, minha amiga!

    SAUDADEEEEEEEEEE!!!!!

    A imagem de girassois no varal é perfeita! Pude vê-los um a um pingando, amarelos, escorrendo, como a lágrima nos olhos verdes da sua dona.
    Lindo este conto amiga... De uma sutileza linda e a mensagem é perfeita... Quantas vezes na vida não valorizamos e nem damos o cuidado necessário aquilo que tanto desejamos um dia e que está diariamente diante de nossos olhos???
    Enfim... Aprendemos com o tempo... As vezes com as perdas...

    AMEI o texto!

    E você? Como está?
    E as novas???
    Conte-me tudo e não esconda-me nada!

    Desculpa a minha ausência amiga...
    Muito bom voltar aqui!

    Um beijo enorme!
    Ótima semana! =)

    ResponderExcluir
  22. Tudo é eterno quando guardamos em nosso coração...paz.
    Que os girassois continuem sempre lá...

    ResponderExcluir
  23. Dani, amigaaa!
    Bom dimingo pra vc e que sua semana seja iluminada, viu?!

    Um beijo enorme!

    ResponderExcluir
  24. Dany, que prazer encontrar o seu blog! E de cara essa linda crônica sobre girassóis. Amos girassóis e suprema felicidade, já estive em um campo de girassóis. Me senti no céu.Maria Olimpia

    ResponderExcluir

Saber que você passou por aqui é muito importante para mim... Portanto, não deixe de comentar...

Agradeço-lhe a visita!

Abraços,

Dany Ziroldo