segunda-feira, 11 de maio de 2009

PARA ONDE VÃO AS CANETAS?


É curioso o que acontece com as canetas onde trabalho, elas simplesmente desaparecem. Estava até pensando em contratar um detetive particular ou, quem sabe, me transformar em uma, para tentar desvendar este mistério.

Chega a ser até engraçado, um engraçado que, às vezes, irrita, pois em um minuto se tem um monte de canetas, no outro já não existe mais nenhuma - e isso acontece principalmente nos momentos em que mais se precisa de uma.

É incrível como as canetas tomam chá de sumiço e nunca mais aparecem e ninguém pode culpar nenhuma das colegas mais próximas, porque ninguém ali nunca tem canetas sobrando para emprestar e ninguém está livre de ser uma vítima. É quase óbvio que um ladrão de canetas teria uma coleção delas, não concordam?

Com tantos desaparecimentos, resolvi colocar nome em cada caneta que adquiro, no entanto, nem assim consigo possuí-las por muito tempo. Evidentemente ficam comigo por mais tempo, pois sempre que vejo passeando na mão de alguém, não desgrudo o olho enquanto ela não retorna para as minhas, mas, ainda assim, não escapo das mãos ligeiras, ávidas por canetas alheias. Sexta-feira passada, por exemplo, tinha três canetas azuis e uma vermelha sob minha propriedade, hoje de manhã, depois de muito procurar, consegui encontrar apenas uma e deu o maior trabalho para encontrar as outras três e escondê-las bem no fundo da minha gaveta para a segurança das mesmas e a minha, é claro. Não quero correr o risco de chegar amanhã cedo para trabalhar e não encontrar mais nenhuma delas.

Já tentamos de tudo, até amarrar a caneta no balcão. Nem isso resolveu, alguns dias depois, sempre encontrávamos apenas o cordão. Nenhum vestígio da caneta.

Por isso, começamos a nos perguntar: para onde será que vão as canetas?

Já perdemos as contas de quantas canetas nos pertenceram nestes três anos de trabalho. Elas evaporam e o mais intrigante, é que nunca mais são encontradas. Algumas imaginações férteis cogitaram a possibilidade de que alguém esconda no fundo do quintal um cofre como o do Tio Patinhas, mas que ao invés de haver ouro e dinheiro, haveria canetas, as nossas canetas...

.
Dany Ziroldo

12 comentários:

  1. quando li o titulo pensei comigo mesmo: ah ela vai falar disso? ja li todas as teorias possiveis sobre isso!
    mas seu texto é um prazer. é segue a teoria do menos é mais, simples e objetiva. ha muito tempo não sinto tanto prazer lendo um texto...
    isso me da vontade de excluir meu blog! hehe

    ResponderExcluir
  2. kkkkk pior que é verdade..
    as canetas aqui de casa tbm somem.
    Pior outro dia q sumiu meu estojo inteiro com tudo dentro! q raiva!
    Adoro o jeito q vc escreve, acho q já disse isso mas, caramba! , sempre tenho vontade de dizer denovo! kkk
    estava sentindo falta disso tudo já!
    estarei por aqui..
    bjão!!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Dani.
    Se tiveres alguma pista, me fala? Para onde vão as canetas... Será que vão para o mesmo lugar onde ficam guardados todos os
    guarda-chuvas?

    Você, Dani já achou uma caneta perdida? E um guarda-chuva?

    Interessante gosto daqui porque escreves sobre cotidianidades e de modo perfeito. Canetas ficam importantes em tua escrita. Aliás, canetas ainda são importantes para mim porque eu gosto de escrever e somente depois digito no PC.

    Beijos,

    Mai

    ResponderExcluir
  4. É muito interessante mesmo isso e até em casa, não as encopntramos quando precisamos.Linda crônica.beijos e tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  5. A grande verdade universal é que há vida fora do Planeta Terra. As canetas Bic são robôs alienígenas que pretendem dorminar o mundo. Você sempre coloca a caneta na boca, de repente a caneta some. Ela só queria sua saliva, onde contém seu DNA. Logo você desaparece e é substituído por um clone... Já vi isso acontecer várias vezes. Quando não precisamos, sempre temos uma caneta na mão. Como não usamos, ficamos a mastigar a tampa. Aì ela some do nada.

    ResponderExcluir
  6. Mais irritante do que perder uma caneta é quando ela falha. Bom texto, foi um ler.

    ResponderExcluir
  7. É impressionante como isso acontece, eu nunca passei mais de um mes com uma caneta, sempre tomavam um fim ignorado, é um mistério, tinha uma caneta que ganhei com 15 cores e até hoje não sei onde foi parar, só a usei por 3 dias e depois nunca mais ví.

    BLOGdoRUBINHO
    www.blogdorubinho.cjb.net

    ResponderExcluir
  8. Olhaaaa...
    É verdade!
    Eu nunca encontro canetas... Em compensação vivo achando clips de papel.

    Acho que as canetas viram clips...

    rsrsrs

    Beijo meu...

    ResponderExcluir
  9. El cofre del pirata! (de canetas)

    ResponderExcluir
  10. Dany, tb passo por esse mesmo problema, mas a idéia de guardar as canetas na gaveta estão dando certo comigo, o chato é que as vezes esqueço de colocalas em segurança e qd chego no outro dia elas já foram sequestradas, o pior é nem pedirem o resgate. rsrsrs

    Bjks.

    ResponderExcluir
  11. oi amiga comigo acontece ao contrario, saio com uma caneta e volto com 4, quando vou entregar correspondencias as pessoas que veem me atender com caneta na mão depois que assinam me entregam suas canetas e eu distraidamente guardo, elas ainda dizem obrigado e só quando eu chego em casa é que vejo que passei a manha pegando coisas alheias, kkkkk.
    ainda bem que não moro em sua cidade senão seria uma grande suspeita do sumiço misterioso de suas canetas! kkkk
    du

    ResponderExcluir
  12. a teoria do Fabricantes de Sonhos logo acima e valida ..

    ResponderExcluir

Saber que você passou por aqui é muito importante para mim... Portanto, não deixe de comentar...

Agradeço-lhe a visita!

Abraços,

Dany Ziroldo